terça-feira, 19 de junho de 2007

Bloguer em Tribunal como arguido (caça às bruxas)


É evidente que quem se sente atingido na sua honra e consideração social deve recorrer aos Tribunais. Mas quando esse "alguém" é um homem público, político profissional e primeiro-ministro, talvez fosse melhor esclarecer totalmente a situação, em todas as suas múltiplas complicações.

Desta forma, o caso não parece ser o de um cidadão que quer a reparação dos seus direitos mas antes o de um alto dirigente político que está a intimidar e a avisar seriamente tudo e todos do que poderá acontecer caso se metam com ele.

É a aplicação da conhecida lógica do "levas..." que já nos foi ensinada por Jorge Coelho.

Ou, pior, a "doutrina Margarida Moreira" a caminho de se generalizar como regra de conduta dos poderes públicos.

15 comentários:

Anónimo disse...

"Cuidado com o que se diz e se escreve ou nem os ossos se aproveitam"

A PIDE (Polícia de Investigação e Defesa da Esquerda) anda aí !

Anónimo disse...

Sócrates e a Directora da Dren atacam a blogosfera.
AHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!!!!!!!!!!!!!!
Olha que dois!!!!!

Anónimo disse...

A blogosfera está em estado de choque com a constituição de um dos seus ilustres membros na qualidade de arguido.
Todos os dias, em muitos blogs, vemos os seus autores ou comentaristas insultarem, injuriarem e difamarem não só pessoas públicas, mas também membros de outros blogs.
Muitas vezes quando alguém não concorda com a outra, passa para o insulto e o baixo nível.
Temos todos que nos mentalizar que a liberdade de expressão, ainda que realizada via blogues, tem limites. E, por isso, todos nós deveríamos fazer um esforço de maior rigor e contenção nos posts/comentários que fazemos.
Porém, também acho (e era importante que fosse fixada jurisprudência sobre isto) que o direito à opinião não obriga necessariamente ao rigor.
Quem opina, não tem que fazer ciência. Já Aristóteles na Antiguidade fazia a distinção entre a opinião e a ciência.
Nós, ao fazermos os posts ou comentários não temos que ser obrigatoriamente 100% rigorosos. Num Estado de Direito democrático, será um exagero inadmissível que tal assim seja.

Anónimo disse...

será que o blogger vai ser julgado mais rápidamente que a Fátima Felgueiras ou antes do caso Casa Pia terminar?

Xuxalistas disse...

O truculento Jorge Coelho não se limitou à célebre frase : “quem se mete com o PS leva”.
Ele é autor de outras tiradas mais empolgantes como “vocês hadem ver”, a deixar-nos a suspeita de que também frequentou a Independente.
O curioso é que tem camaradas que vão pelo mesmo caminho, como aquele deputado que escreveu “heilo que chega”.
E fora da AR, gente da mesma área política segue-lhe as pisadas, como aquele senhora colocada por Pina Moura na EDP, à frente da Direcção de Comunicação, que escrevia pérolas como estas : “vamos mantê-los ocorrentes de novos acontecimentos“ e “se tiver dúvidas não exite em contactar-nos”.
Se não fossem perigosos, seriam uns queridos pândegos, estes socialistas.

Ana Maria disse...

Lembram-se o que sucedia dantes aos portadores de más notícias? Cortavam-lhes a língua, agora processam-nos, é o sinal dos tempos e também, porque não, mais uma demonstração da cobardia do nosso primeiro.

Anónimo disse...

Se o PS continuar assim , nesse bom caminho, eu que sou Salazarista assumido , ainda me faço militante e passo a contribuir como o Jacinto Leite Capelo Rego...

Justiceiro disse...

Quer dizer, querem que Socrates interfira e absolva imediatamente Charrua anulando o processo e exija ao MP que em caso algum o blogger seja arguido?!?

Gaius Germanicus disse...

Caros tribunos,
A liberdade de uns acaba onde começa a dos outros. Não obstante não ser adepto dos meios termos, entendo que a um blogger é exigida uma ponderação acrescida. Primeiro porque muitas vezes está coberto por um manto de invisibilidade o que lhe pode dar uma certa ideia de impunidade; por outro porque não pode perder a consciência que eventualmente acabará por ser lido e sua opinião acabará por ter sequelas.

Mas em liberdade as regras são mesmo estas. Para a tolerarmos temos que admitir que existirão muitos idiotas, racistas, xenófobos, ignorantes, machistas, misóginos, entre outros adjectivos "mimados". Mas a fronteira entre a civilização e a barbárie encontra-se no "antídoto" que a civilidade deve ter para não se deixar contaminar pela boçalidade.

Ave Caesar

Anónimo disse...

Atenção à tal "impunidade".
É possível, mesmo nos comentários anónimos, chegar pelo menos à conta do acesso de onde partiu o comentário.
Uma difamação é sempre uma difamação, seja dita por alguem anónimo ou identificado.
Este caso, como se viu depois, despoletou todo um processo que ainda não está explicado.
Por tudo aquilo que se viu, desde diplomas passados ao Domingo a exames feitos em papel da Secretaria de Estado, não me parece possível que este cidadão seja condenado por difamação.
Contudo, nos tempos que correm, convem ter cuidado. Vivemos numa democracia de papel, num país que tem a melhor justiça que o dinheiro pode comprar.

Anónimo disse...

O tribunal obrigou a senhora que fez queixa do Sr.Cabral por ter comparado a perda de uns óculos à morte do filho a pagar uma indeminização.
Uma senhora que vive cheia de dificuldades, mesmo que não tenha tido razão, podia até ser obrigada a pagar mas espera-se muito mais elevação de um presidente de Câmara.
Nunca podia aceitar.
Depois de conseguir ganhar no tribunal não era preciso esmifrar ainda mais a senhora.
Devia ter vergonha em aceitar o dinheiro para proveito próprio.

Anónimo disse...

No meio de tanta pseudo elevação cultural senhor gaius, no meio da sua prosápia pseudo erudita...não acredito que confunda "misógeno" com "misógino"...
Irra que é das murtelas!

Anónimo disse...

Demoraste três dias a estudar o dicionário, pá.
Que grande cabeça.

Gaius Germanicus disse...

Meu caro anónimo, misógino ou talvez miope.
Não sendo gralha ou lapsus linguae, presumo que se não há Larousse na vossa humilde habitação, pelo menos devia aceder à Wikipédia.
Convidava-o a discutir a MISOGINIA, mas é mal do qual não padeço. E Morcelas só mesmo no cozido.
Cultive-se... e não falo de agricultura.

Ave Caesar

Anónimo disse...

"O processo que Sócrates intentou agora contra um 'bloguista' que, háanos, iniciou o episódio dos 'diplomas' universitários do primeiro-ministro é mais um passo numa construção que ainda não tem nome".
António Barreto, PÚBLICO, 24-06-2007